Mulher e candidato do Ceará são os favoritos para vagas do STJ

1 de 1 Lula em reunião com ministros do STJ, em dezembro de 2022 — Foto: STJ Integrantes do governo Lula veem dois favoritos entre os sete nomes que passaram pela votação no Superior Tribunal de Justiça (STJ) para ocupar as vagas na corte. Entre eles, a advogada Daniela Teixeira e o desembargador Teodoro Silva Santos, do Ceará. Lula terá de escolher três nomes como novos ministros do STJ: dois provenientes dos tribunais de Justiça e um da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Daniela Teixeira é considerada uma advogada progressista, mas o fato de ser mulher pesa muito, principalmente porque Lula ainda não definiu se escolherá uma mulher para a vaga de Rosa Weber, que sai em setembro do Supremo Tribunal Federal (STF). A escolha de Teixeira dá discurso para o presidente se optar por um homem, como o advogado-geral da União, Jorge Messias. "Daniela já é ministra", brincou um aliado de Lula. Além disso, tem duas ministras do STJ que se aposentam neste ano. Hoje, a Corte conta com seis mulheres entre as 33 cadeiras. Se Teixeira for escolhida, serão sete, número que inevitavelmente cairá com as duas aposentadorias – por enquanto, mais uma vez são os homens os favoritos para essas listas tríplices. LEIA TAMBÉM: STF tem placar de 5 a 1 para liberar porte de maconha; Mendonça pede vistaEntenda como funcionava suposto esquema pelo qual Jair Renan Bolsonaro é investigadoVeja o que muda para cada faixa salarial após a nova isenção do IR, aprovada pelo Congresso Teodoro Silva Santos conta com o apoio do ministro Camilo Santana (Educação) e de governadores do Nordeste. Teve 17 votos, o mínimo para entrar, e não constava entre os favoritos para compor a lista dos desembargadores. Como as últimas escolhas para o STF foram de homens de São Paulo e do Rio de Janeiro, a tendência de Lula seria escolher agora um nome de fora do Sudeste. Daí também a força de Santos. "A questão regional está pesando muito", disse um integrante do governo. Por esse raciocínio, sobra mais uma vaga, a ser disputada entre os candidatos de São Paulo, Rio e Minas. O paulista, Carlos Vieira Von Adamek, é próximo do ministro Dias Toffoli e foi secretário-geral do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Conta com o apoio também de advogados progressistas de São Paulo, incluindo integrantes do Grupo Prerrogativas, que se notabilizou diante das críticas ao judiciário na prisão do presidente Lula. O candidato do Rio, Elton Martinez Carvalho Leme, tem o apoio de políticos fluminenses e também do corregedor-geral de Justiça, Luis Felipe Salomão. E, por fim, o mineiro José Afrânio Vilela, que tem o apoio de integrantes do PT de Minas, considerado hoje uma indicação forte, principalmente por ser do Estado do Sudeste que não emplacou ministro do STJ nas últimas indicações.
24/08/2023 (00:00)
Visitas no site:  2127500
© 2024 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia