INSTITUCIONAL: Pesquisa revela que Justiça Federal cumpre seu papel de forma efetiva e transparente

Com mais de 12,5 mil participantes, a pesquisa de opinião, promovida pelo Conselho da Justiça Federal (CJF), sobre as metas estratégicas da Justiça Federal apontou que a maioria dos respondentes considera que os tribunais regionais federais brasileiros cumprem seu papel com efetividade e transparência. O estudo foi realizado em função da revisão da estratégia para o ciclo 2021-2026 e contou com a participação de magistrados, servidores, advogados e outros cidadãos em geral. Ao serem questionados sobre o cumprimento da missão da Justiça Federal, 67,8% dos participantes acreditam que isso ocorre com transparência e 56,9%, com efetividade. Com relação aos macrodesafios, 80% dos respondentes acham que a prioridade deve ser dada à garantia dos direitos fundamentais; 78%, ao enfrentamento à corrupção e à improbidade administrativa e 76%, ao fortalecimento da estratégia nacional de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e de proteção de dados. Sobre os temas que devem ser priorizados na elaboração da estratégia para o próximo ciclo, 63% escolheram benefícios previdenciários; 51%, saúde; 31%, meio ambiente; 28%, contribuições/impostos e 23%, Sistema Financeiro. Também foram sugeridos temas como: saúde do servidor; agilidade no julgamento de processos; gestão eficiente das varas federais; implantação de sistemas mais simples e práticos e informatização dos tribunais. A pesquisa, realizada no período de 29 de junho a 10 de julho, foi elaborada com apoio dos gestores de metas e das áreas de estratégia dos tribunais regionais federais e observa o previsto na Resolução CNJ 221/2016, que trata da gestão participativa e democrática na elaboração das metas nacionais do Poder Judiciário. Para ver a íntegra do resultado, clique aqui ou acesse o Observatório da Estratégia da Justiça Federal. Assessoria de Comunicação Social Tribunal Regional Federal da 1ª Região  
31/07/2020 (00:00)
Visitas no site:  1579206
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia